top of page
Buscar
  • Foto do escritorCidade Radio

ÚLTIMA APARIÇÃO DE N. SENHORA EM GARABANDAL

*13 de Novembro de 1965:* Última aparição de Nossa Senhora em Garabandal No sábado, 13 de Novembro de 1965, Conchita teve sua última Aparição de Nossa Senhora em Garabandal. Conchita deu os detalhes numa carta que escreveu: Um dia, na Igreja, Nossa Senhora disse-me numa locução, que eu iria vê-La no sábado, 13 de Novembro, nos Pinheiros. Seria uma aparição especial para beijar os objetos religiosos para que eu pudesse dá-los depois, eu estava ansiosa para este dia chegar, para que eu pudesse ver de novo a Santíssima Virgem e o Menino Jesus, que tem implantado na minha vida as sementes da felicidade de Deus. Estava chovendo, mas isso não importa para mim. Fui até os Pinheiros, carregando comigo muitos terços que as pessoas me têm dado, para distribuí-los… Quando eu estava indo para cima, e falando comigo própria, sentia-me culpada pelos meus defeitos, desejando não cair novamente, pois estava muito preocupada de comparecer perante a Mãe de Deus, sem me ter visto livre deles. Quando cheguei aos Pinheiros, comecei a tirar os rosários para fora, e ouvi uma voz doce, a da Virgem, que sempre se distingue do meio das outras, chamando-me pelo meu nome. Respondi-lhe: __ O que é? Naquele momento eu vi-A com o Menino nos braços. Ela estava vestida como sempre, sorrindo. Eu disse-Lhe: __ Eu vim trazer-Lhe os rosários, para que possa beijá-los. Ela disse-me: __ Posso ver. Eu tinha estado a mascar pastilha elástica, mas como estava a vê-La, não mastigava. Eu coloquei a pastilha num dente. Ela deve ter notado, e por isso disse: __ Conchita, porque não te livras da pastilha elástica e ofereces como um sacrifício para a glória de Meu Filho? Eu, um pouco envergonhada de mim mesma, tomei-a e joguei-a no chão. Ela disse depois: __ Lembras-te do que Eu disse no dia do teu santo? Que tu irias sofrer muito na Terra... Agora, eu repito-te. Tem confiança em Nós. Então acrescentei: __Como sou indigna, ó Mãe nossa, de tantas graças recebidas através de Vós, e agora Vós vindes a mim para me ajudar a carregar a pequena Cruz que eu tenho. Ela disse: __Conchita, Eu não vim apenas para ti, mas estou vindo para todos os Meus filhos, com o desejo de chegá-los para mais perto dos Nossos Corações. Ela, então, pediu as coisas que eu tinha levado. __ Dá-nos para que Eu possa beijar tudo o que trouxeste contigo. E dei-Lhe tudo. Eu estava trazendo comigo também um pequeno crucifixo que eu Lhe dei a beijar. Beijou-o e disse: __ Coloca-o nas mãos do Menino Jesus. Eu fi-lo e Ele não disse nada. Eu disse: __ Essa cruz, eu a pretendo levar comigo quando for para o convento. Mas Ele não respondeu. Depois de tudo beijar, Ela comentou: __ O Meu filho, através deste beijo, irá operar maravilhas. Distribui-as aos outros. __ Claro que eu vou fazê-lo. Depois de tudo isto, Ela pediu que eu Lhe dissesse todas as petições que havia recebido dos outros. __Conchita, diz-me, diz-me coisas sobre os Meus filhos. Eu tenho todos eles sob o Meu Manto. Eu comentei: __ Ele é muito pequeno e não há espaço para todos nós. Ela sorriu e disse: __Tu sabes Conchita, porque Eu não vim pessoalmente a 18 de Junho para dar-te a mensagem para o mundo? Porque Me doía dizê-lo pessoalmente, mas tenho que dizê-lo para vosso próprio bem, e se o cumprirdes, para glória de Deus. Eu te amo muito e desejo a vossa salvação; para reunir todos em torno de Deus Pai, do Filho e do Espírito Santo. Conchita, não vais responder a isto? Eu disse: __ Se eu pudesse estar sempre a vê-La, sim, mas de outra forma não posso, porque eu sou muito má... __ Tu, faz tudo o que puderes. Nossa Senhora acrescentou: E nós te ajudaremos, bem como a minhas filhas Loli, Jacinta e Mari Cruz... Ela não ficou muito tempo comigo. Ela também disse: __ Esta será a última vez que tu Me vais ver aqui, mas Eu sempre estarei com todos os Meus filhos. Depois disso, ela acrescentou: __Conchita, porque não vais frequentemente visitar o Meu Filho no Santíssimo Sacramento? Porque te deixas levar pela preguiça e não vais visitar quem está à tua espera noite e dia? Como já escrevi anteriormente, estava uma forte chuvada. Nossa Senhora e o Menino não Se molharam. Eu não sabia que estava chovendo enquanto Os via, mas quando parei de vê-Los, eu estava encharcada. Também Lhe disse: __ Ó como estou feliz quando eu Vos vejo. Por que não me levais conVosco agora? Ela respondeu: __ Lembra-te do que te disse no dia do teu santo. Quando tu te apresentares diante de Deus, deves mostrar-lhe as mãos cheias de boas obras feitas por ti para teus irmãos, e para a glória de Deus. Agora, as tuas mãos estão vazias. Isto é tudo. Passei um momento feliz com a minha Mãe do Céu, a minha melhor amiga, e com o Menino Jesus. Eu deixei de Os ver, mas não de Os sentir próximos. Novamente Eles semearam na minha alma grande paz, alegria e o desejo de vencer os meus defeitos para que eu consiga amar, com todas as minhas forças, o Coração de Jesus e Maria, que tanto nos amam... *Conchita termina com isto:* *A Virgem Maria disse-me antes que Jesus não pretende enviar a punição, a fim de nos entristecer, mas para nos ajudar e nos repreender por não Lhe prestarmos atenção.* *E o Aviso, será enviado a fim de nos purificar para o Milagre, em que Ele vai nos mostrar o Seu grande Amor, e para que possamos cumprir a Mensagem.* Com esta Aparição de Nossa Senhora, o ciclo de aparições em Garabandal fechou-se. Vai ser definitivamente confirmada numa quinta-feira às 08:30 da noite, quando o Milagre acontecer. Isso marcará o início de uma nova era na história da Salvação da humanidade. *CONFISSÕES DO INFERNO* *Trechos da Obra:* *“Vida, Paixão e Glorificação do Cordeiro de Deus.”* *O livro acima, é uma das maiores dádivas que Deus derramou sobre a face da terra. Vejam abaixo, trecho de outro livro, onde é narrado um exorcismo, e o demônio é* *obrigado a mencionar o livro acima, de Anna Catarina Emmerich, Vida Paixão e Glorificação do Cordeiro de Deus, à equipe de exorcistas.* Essa publicação, que trata do exorcismo, foi de autoria do presidente da Associação Internacional dos padres exorcistas, Padre Gabriele Amorth, intitulado de Confissões do Inferno ao mundo contemporâneo. CONFISSÕES DO INFERNO AO MUNDO CONTEMPORÂNEO *EXORCISMO DE 30 DE MARÇO DE 1976* E – Exorcista. B – Belzebú, demônio do coro dos Arcanjos. E – Fala Belzebú, em nome da Santíssima Trindade! B - A propósito do começo da Igreja devo acrescentar que embora os Evangelhos pouco contenham sobre a Santíssima Virgem, mais tarde, inspirados pelo Céu, em visões e revelações, grandes Santos lançaram muita luz sobre a vida e obra d’Essa que está lá em cima (aponta para cima). Um dos maiores é a Catarina Emmerich, que nem sequer ainda foi canonizada (ri maldoso). Ela não foi só uma das almas mais sofredoras, mais humildes, mais missionárias, como é também uma das maiores Santas do Céu. A outra é Maria de Jesus Agreda. Viveu em Agreda. Era Abadessa. Já os seus pais se tinham retirado para um convento (rosna)… tinham prometido consagrar-se à vida religiosa. Eles é que obtiveram a sua filha, a sua predileta, a graça de ter essas malditas visões. E – Fala agora, em nome (…), fala agora sobre o ponto essencial a que te referiste! B - Como os Evangelhos contêm muito pouco sobre a Santíssima Virgem, é seu desejo que nos confusos tempos que correm, que do alto dos púlpitos se recomende a leitura dos livros de Maria de Jesus Ágreda. Eles não deviam faltar em nenhuma família católica. Todos deviam possuir esses volumes (grita desesperado). E – Continua a falar em nome da Santíssima Trindade, em nome da Imaculada Conceição, sob cujas ordens tens de falar! B – Ela quer que os Sacerdotes digam que estes livros não devem faltar em nenhuma família católica, que deveriam mesmo recomendá-los aos protestantes. Quando os leitores verificarem toda a riqueza destes livros, não tardarão a compreender que Ela… E – Continua em nome da Santíssima Trindade (…)! B - Ela é uma Criatura eleita e predestinada, uma criatura duma grandeza imensa jamais atingida por qualquer mortal. Os Sacerdotes devem fazer compreender aos fiéis que é necessário divulgar estes livros, tão instrutivos, pelo mundo inteiro e, sobretudo, lê-los. Aí podereis compreender a nossa derrota em toda a sua extensão e amplitude, tal como a grandeza e dignidade desta criatura, que nos esmaga a cabeça (range os dentes). Ela quer (lança gritos horríveis)… não quero falar, não quero falar (chora)… É que não posso auxiliar Aquela que está lá em cima (aponta para cima), mas sim quem o “velho”, (lúcifer) quer. Não quero falar. E – Mas tu tens de falar em nome (…), em nome da Imaculada Conceição, em nome da Anunciação da Santíssima Virgem, em nome de S. Miguel Arcanjo, tens de falar! B – Isto está fora do nosso campo de ação, não é nada conosco! Nós temos a missão de seduzir os homens. Não queremos conduzi-los ao bom caminho. Por estes livros os homens seriam levados a trilhar caminhos melhores (grita). E – Continua! Tens de falar em nome da Imaculada Conceição, em nome de Nossa Senhora do Monte Carmelo! Tu não podes mentir! Continua! B - Nestes livros aprendereis como a Santíssima Virgem viveu e morreu. Para conhecer os planos eternos de Deus, tanto quanto esses planos podem ser conhecidos pelos homens, é lá que se encontram as fontes seguras e dignas de fé. Aí, os fiéis verão o fundamento de todas as coisas. E – Continua a falar, em nome (…)! B – Reconheceriam n’Ela (aponta para cima) uma criatura universal, acabariam por render-se perante tanta humildade e dignidade. Até nós A tememos, nós próprios temos que capitular perante tais atributos. Quanto mais vós, criaturas humanas, que não passais todos de poços de imundície! Não valeis um pataco! Nós somos muito superiores… quando mais Ela (aponta para cima). E – Em nome (…) continua! B – Se vós pudésseis contemplar ao menos um décimo da sua dignidade, precipitar-vos-íeis imediatamente no pó e é bem contra a minha vontade que eu digo isto! Nós vimos, fomos obrigados a vê-la, fomos obrigados. Não desejamos que A venhais a ver, pois nós queremos que vos precipiteis bem cá para baixo e não para cima. Também as pessoas instruídas, os acadêmicos, deveriam ser informados sobre esta Maria de Jesus Ágreda, antes de se juntarem aos Sacerdotes para combater os tradicionalistas. E – Continua a dizer a verdade, em nome (…)! B – Mesmo os “tradicionalistas” estão muito longe, imensamente longe de conceber uma tal dignidade, a não ser dum modo aproximado, mesmo que leiam estes livros. Mas devem ser lidos por vós, em nome de Deus. Vós não podeis passar sem o fazer, nem mesmo os leigos. E vós padres, deveis anunciá-lo a todas as criaturas. Tenho que repeti-lo. É preciso proclamá-lo do alto dos púlpitos. Essa, que está lá em cima, quer que estes livros sejam conhecidos nos quatro cantos do mundo. Falarei em seguida da Segunda. Catarina Emmerich, alma expiadora. Tinha de estar sempre deitada de costas, tais eram as suas dores e sofrimentos. Não teve nada a dizer durante a sua vida, mas, quando morreu todo o Dülmen estava em chamas. Quando de todos os lados acorreram com os carros dos bombeiros deveriam ter visto naquilo um sinal do Céu… mas os homens são estúpidos. Que sabem os homens? Nada compreendem… são estúpidos como cepos. E – Em nome (…) diz a verdade! B – Um cepo é ainda mais inteligente. Aqui e acolá, pode apresentar ainda uma folhinha verde, mas os homens, esses, só tem lixo e palha. E – Continua, diz a verdade em nome da Imaculada Conceição, em nome da Bem Aventurada Virgem Maria e de S. Miguel Arcanjo! B – Esta Catarina Emmerich teve de falar para a Igreja, fez vaticínios sobre a Igreja e sofreu e rezou muito por ela. Já em pequenina, a sua capacidade de sofrimento era enorme. Nós tínhamos-lhe um ódio terrível. Tão pequenina e já fazia Via Sacra, e imitava à letra a humildade d’Aquela que está lá em cima… Ah!… e a cruz, cruz também, tal como Aquela, que está lá em cima. Foi uma grande Santa. Nós receávamo-la muito e, por isso mesmo, queríamos destruí-la, mas não o conseguimos. Ela safava-se sempre, embora tivesse sofrido doenças mortais, que oferecia sempre pelos outros, para que eles pudessem obter ainda a graça de se converterem. Só morreu quando Aqueles lá em cima (aponta para cima) verdadeiramente o quiseram, pois foram Eles que acolheram a sua alma venerável, a sua alma santa… porque ela era uma Santa… no Céu. Há no Céu muitos santos, quero dizer muitos Santos canonizados por Roma, que são menos santos e menores que ela. Ah! Como é horrível ser obrigado a confessá-lo! E – Sim, continua a dizer a verdade, em nome (…)! B – Se ela for canonizada, pensamos nós, então os seus livros serão conhecidos. Enquanto não o for, os seus livros não serão tão bem aceitos. É por isso que os Bispos não querem ouvir falar deles. Talvez um ou outro já os tenha lido, mas isso são fatos isolados, sem consequências. Devo ainda acrescentar que ela é uma Santa poderosa no Céu (chora). Há muito que os seus livros deviam ter sido difundidos pelo mundo inteiro. É preciso que vós também o proclameis do alto dos púlpitos. E agora não digo mais nada, mais nada (gane como um cão). E – Fala em nome da Imaculada Conceição, da Bem-Aventura Virgem Maria, em nome de S. Miguel Arcanjo! B – Dos seus livros, é sobretudo o volume Vida e Morte da Venerável Catarina Emmerich que deve ser difundido. Deveríamos atar esses livros às costas das crianças para que aprendessem a caminhar com a cruz que o Senhor pôs no seu caminho. Esta pequenina Santa já ia, aos quatro anos, fazer a Via Sacra, mesmo à noite, ficando com os pés feridos, ensanguentados, tudo para a glória do Seu Rei Crucificado. De manhã a mãe tinha de lhos ligar, e nem sequer sabia de onde ela vinha, pois a pequena nada dizia (uiva) Catarina foi uma grande alma sofredora. No seu quarto, o frio era glacial. É que ela era muito pobre e mesmo quando os seus lençóis estavam lisos com o frio e, no meio deles, ardia com febre, nunca pedira para lhos mudarem. Ela queria viver a sua Paixão e oferecê-la humildemente. Onde é que se veem, hoje em dia, almas assim? Religiosas compadecidas substituíam-lhe os lençóis. Catarina não o teria exigido e acabaria por morrer de frio ou ficaria entorpecida. Ela tudo suportava pelo seu Senhor Crucificado. É inimaginável o que ela fazia por Ele. Ela é uma poderosa Santa que nós sempre tememos. Sentimos repugnância por estas pessoas, que renunciam a si mesmas, seguem voluntariamente o caminho da cruz e tudo oferecem pelos outros. Há grandes santos que fazem muitos milagres, que são considerados grandes aos olhos do Senhor, que têm o dom de ler nas consciências, como ela, aliás, também tinha, mas como ia dizendo, embora esses possam ser mais conhecidos, embora a eles acorram milhares de pessoas, embora sejam grandes santos, não se lhe podem comparar e não se lhe comparam. Era uma alma sofredora, humilde, apaixonada por Deus. Deus amou-a e glorificou-a dum modo muito especial e é por isso que Ele quer que seja canonizada. E – Continua a falar, em nome (…)! B – Já há muito e não só agora, que ela o deveria ter sido. Deve-se falar às pessoas dos seus livros e das suas numerosas visões e revelações. É preciso que o façais por amor à dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ela desejava-o e o próprio Jesus o deseja também. Dos seus textos, devereis citar em primeiro lugar A Dolorosa Paixão de Jesus Nosso Senhor. Este livro também não devia faltar em nenhuma família, sobretudo numa família que se preze de ser católica (geme). Mas chega de conversa por agora! E – Tens de continuar! Em nome do Pai (…) em nome da Imaculada Conceição, da Bem-Aventurada Virgem Maria, de S. Miguel Arcanjo, de todos os Santos Anjos, tens de falar Belzebú! B – Jesus Cristo e a Santíssima Virgem concederam a estas duas grandes Santas visões e revelações para que chegassem ao conhecimento dos fiéis. Estes devem recebê-las nos seus corações, seguirem-nas e transmitirem-nas aos outros. Não se trata de uma anedota, mas de algo muito sério, muito grande, que já foi profetizado pela Santíssima Virgem, quando disse outrora aos Apóstolos: “Deus proverá, o Céu proverá, para que o Meu nome, no devido tempo… (gane como um cão). E – Diz a verdade, em nome (…)! B – …venha a ser glorificado e conhecido e que tudo o que deve ser revelado a meu respeito, o seja na devida altura.” Agora já é a altura. Estamos agora em pleno Apocalipse. E Ela é o Grande Sinal. É por isso que as pessoas devem ler estes livros, porque em Emmerich, mas mais especialmente em Maria de Jesus, se fala do Apocalipse, do Grande Sinal, da Santíssima Virgem. E – Continua a dizer a verdade, diz o que tens a dizer da parte da Santíssima Virgem, da Imaculada Conceição, de S. Miguel Arcanjo e de todos os Santos Anjos e Arcanjos! B – Se as pessoas lessem estes livros (solta sons como gemidos) compreenderiam facilmente que a hora chegou. Compreenderiam melhor o Apocalipse e o que está escrito na Bíblia. Vós não passais de grandes burros! Os homens são imensamente estúpidos, deixam que tesouros tão valiosos se percam, lhes escapem, se enferrujem (ri maldoso). E – Diz a verdade, em nome (…)! B – Permitem que estes preciosos tesouros de valor infinito apodreçam e fiquem escondidos. E o que devia ficar escondido é difundido (ri ). Como, por exemplo, Bíblias que de Bíblias nada têm, vidas de Santos que de religioso nada têm também. Esse gênero de livros é mais dirigido de baixo do que do alto (arreganha os dentes, malicioso). Não passam de palavreado oco. Até um burro ou um cavalo é mais inteligente; duma maneira ou de outra, eles sentem o que o seu dono quer. Mas aqui (no mundo) não é assim. Só quando já é demasiado tarde é que se percebem que deveriam ter procedido dum modo diferente. Ah! Para nós, estes escritos de Ana Catarina Emmerich e Maria Ágreda, são livros malditos, que desde há muito tememos e sempre temeremos. Nós, lá em baixo, há muito tempo, nem sei bem há quanto, deliberámos para ver o que poderíamos fazer contra eles… e os homens nem sequer os leem (ri sarcástico). Mesmo aqueles que se dizem bons católicos, não os têm em casa! (as suas gargalhadas transformam-se em gemidos). E – Diz a verdade em nome (…), da Imaculada Conceição, da Bem-Aventurada Virgem Maria, de S. Miguel Arcanjo, S. José, de todos os Coros dos Espíritos Bem Aventurados! B – Deveis informar as pessoas. Todos os Padres, os “tradicionalistas” e mesmo os modernistas, deviam proclamar do altar que é necessário difundir estes livros por toda a parte e o mais rapidamente possível, para que sejam lidos. Se isso acontecer e se o seu conteúdo fosse posto em prática, ainda que aproximadamente, muitas almas se haveriam de salvar (geme horrivelmente). E – Continua, em nome da Santíssima Trindade! B - Catarina Emmerich teve visões sobre a Dolorosa Paixão de Jesus para que ela fosse conhecida dum modo mais direto e mais profundo, pois os Evangelhos não relatam senão fragmentos. Embora os Apóstolos tivessem conhecido mais pormenores, resumiram-na muito. Nas visões desta grande Santa há partes sintetizadas e resumidas que são horrivelmente extensas para nós. Aprende-se, por exemplo, a maneira de conseguir um arrependimento perfeito, que desempenha um papel primordial na confissão. Aprende-se a não ofender tanto o Senhor, que tanto sofreu. Os seus padecimentos são descritos duma maneira mais profunda do que em qualquer outro livro (rosna). Estes livros deveriam figurar em todas as livrarias, sobretudo nas católicas, que os deveriam possuir em quantidade, e não apenas um exemplar. E – Belzebú, diz qualquer coisa sobre os sofrimentos secretos de Cristo na Quinta-feira Santa, em nome (…)! B – Não nos agrada falar desse assunto, mas porque se está na Quaresma, Ela deseja que ao menos algumas frases…


26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
Gabriel e mãe tela verde1.png
bottom of page