top of page
Buscar
  • Foto do escritorCidade Radio

O que disseram os Santos a respeito do Purgatório




Rezemos sempre pelas alminhas do Purgatório. Não nos esqueçamos delas em hipótese alguma.

Nós a ajudamos e elas reconhecem o que fazemos por elas e quando se libertarem das penas purificadoras elas intercederão por nós no Céu.

Unamo-nos as nossas preces à esses nossos irmãos que não podem ser esquecidos e em atitude de filhos e filhas amados por Deus, peçamos pelas alminhas do Purgatório em contínuo ato de intercessão e juntamente por todos na terra que também tanto necessitam.



Abaixo segue o que alguns Santos e São Miguel Arcanjo disseram à respeito do Purgatório.



São Francisco Sales: << - A maioria dos que temem o Purgatório é muito mais por interesse e amor de si mesma que pelo interesse de Deus. Por isso só falam das penas daquele lugar e nunca da felicidade e da paz que desfrutam as almas que lá estão. É verdade que os sofrimentos são extremos e as mais terríveis dores desta vida não se podem comparar a eles, mas também as satisfações interiores são tais e tantas que nenhuma prosperidade nem alegria da terra a elas se podem igualar. Se é uma espécie de inferno quanto a dor, é um paraíso quanto à doçura que a caridade difunde no coração. Feliz estado, mais desejável que temível.>>



São Francisco tinha medo dos seus admiradores, porque, imaginando que ele fosse direto para o céu eles o deixassem sofrendo no Purgatório por não rezar por ele. Ele sabia que, mesmo os santos, podem ainda ter contas a pagar antes de chegar a casa do Pai!



São Vicente Ferrer disse: << - Há almas que ficam no Purgatório um ano inteiro por um só pecado>>. Este santo tinha uma irmã muito frívola e vaidosa que, vindo a falecer, lhe apareceu entre as chamas e sofrendo horríveis penas, dizendo: << - Ai de mim, meu irmão, fui condenada a estes suplícios até o dia do juízo final. Mas tu podes ajudar-me. Oferece para mim 30 missas.>>



Existe na Igreja Católica o costume de mandar celebrar as Missas Gregorianas. São 30 Missas celebradas durante 30 dias consecutivos, sem interrupção, por alma de uma pessoa falecida.


Como começou esse costume?


O primeiro exemplo de tal uso é referido nos Diálogos de S. Gregório Magno (540-604). Daí o nome: Missa Gregoriana.


S. Gregório antes de ser eleito Papa no ano 590, era monge beneditino. Certa ocasião, um monge do seu mosteiro, chamado Justo, adoeceu gravemente. Sentindo a morte aproximar-se, ele revelou aos irmãos que tinha três moedas de ouro escondidas entre os seus pertences. Grave violação do voto de pobreza!


O dito monge morreu. Enterraram-no em sepultura à parte com as suas moedas, citando esta frase da Bíblia: «Vá contigo o teu dinheiro para a perdição» (Act 8, 20)


Em seguida, Gregório mandou celebrar a Santa Missa durante “30 dias consecutivos – sem omitir um só dia”, pelo defunto. E que aconteceu?


No 30º. Dia, o defunto apareceu ao Irmão Copioso, dizendo: “Até hoje sofri, mas agora estou bem” …


Este costume de celebrar as trinta missas seguidas, Missas Gregorianas, difundiu-se na Igreja até aos nossos dias.



Do diário da Santa Irmã Faustina: <<- Tira do tesouro da Minha Igreja, todas as indulgências e oferece-as pelas almas. Oh! Se conhecesses o seu tormento, incessantemente oferecias por elas a esmola do espírito e pagarias as sua dívidas

com a Minha Justiça!>> (Jesus)



Santa Catarina de Gênova assim descreve: << - Sentir o ímpeto de ir para Deus sem

o poder satisfazer é o maior sofrimento que se possa imaginar, é, propriamente o

Purgatório. Este estado é um estado de morte, uma angustia inenarrável. E um sofrimento tão extremo que não há língua que o possa contar, nem inteligência que possa compreender sequer um milésimo, se Deus, por uma graça especial não o mostrar.>>



Dizia Santa Catarina de Bolonha: << -Quando quero obter com segurança uma graça, recorro as almas sofredoras e a graça que suplico sempre me é concedida.>>

<< - Mais se obtém pedindo a intercessão das almas, que dos santos.>>



São João Maria Vianey (Cura D'ars): << - Se soubéssemos como é grande o poder

das santas almas do Purgatório e quantas graças podemos alcançar por sua intercessão, elas não seriam tão esquecidas.>>



Disse o Cura D'ars a uma senhora que ele confessava: << - Há dez anos que seu pobre pai sofre no Purgatório e não mandaram rezar uma só missa para o libertar!>>



São Paulo da Cruz teve a visão de um padre recém falecido que lhe disse: << - Quanto sofro, quanto sofro meu Deus! Sou a alma daquele padre falecido. Há tanto tempo estou num oceano de fogo, há tanto tempo!... Parecem mil anos!>>


O santo lhe respondeu: << - Meu padre, mas faz tão pouco tempo que faleceu e já

falas em mil anos!>> Ao que o padre pediu sufrágios e desapareceu! O Santo rezou muito por ele e no dia seguinte celebrou a Santa Missa pelo falecido.

Viu-o então entrar triunfante no céu na hora da santa comunhão!



São Francisco Sales dizia: << - No Purgatório, as almas amam mais a Deus que a si

próprias, com um amor simples, puro e desinteressado.>>



São Gregório Magno: << - Creio que as penas do Purgatório são mais terríveis e

insuportáveis que todos os males desta vida.>>



São João Paulo II: << - Numa misteriosa troca de dons, eles (padecentes) intercedem

por nós e nós oferecemos por eles a nossa oração de sufrágio.>>



São Bernardo: << - Entre o momento da morte e a eternidade, existe um abismo de

misericórdia!>>



Santa Catarina de Gênova: << - Sim, o tormento delas é tão grande que nenhuma língua humana pode exprimi-lo, mas suas delícias são de tal modo inebriantes que só a felicidade dos eleitos pode dar uma ideia.>>



São Nicolau Tolentino descreve uma visão do Purgatório: << - Um imenso vale onde milhões de almas se retorciam de dor num braseiro imenso e gemiam de cortar o coração. Ao perceberem a presença, bradava, suplicavam, estendiam os braços pedindo misericórdia e socorro. Diziam: << - Padre Nicolau, tem piedade de nós! Se celebrares a Santa Missa por nós, quase todas seremos libertadas dos nossos dolorosos tormentos.>> O santo celebrou 7 missas em sufrágio destas almas. Durante a última missa, apareceu-lhe uma multidão de almas resplandecentes de glória que subiam ao céu.



Santa Teresa pedia: << - Pelo amor de Deus, eu peço a cada pessoa uma Ave Maria

afim de que me ajude a sair do Purgatório e apresse a hora em que hei de gozar a vista de Jesus, Senhor Nosso.>>


Esta santa certa vez viu a alma de uma religiosa, (Madre Genoveva) de vida muito simples, subir diretamente ao céu depois da morte. E como a Santa revelasse grande surpresa com isto, Nosso Senhor lhe disse que aquela religiosa sempre teve um grande respeito pelas indulgências da Igreja e sempre se esforçou para ganhar o maior número delas.



PS: É tão importante ganharmos Indulgências... Procuremos sempre usufruirmos delas para o nosso bem e de outros!



Santa Lutgarga, teve a visão do Papa Inocêncio III dizendo que deveria ficar no Purgatório até o fim do mundo, por algumas faltas no governo da Igreja. Também teve a visão de 4 padres que estavam no Purgatório há mais de 50 anos apenas por administrar mal os Sacramentos.


PS: Como todos nós, consagrados ou leigos devemos ser zelosos no que fazemos por Deus em favor dos outros.



Numa mensagem de um escolhido, São Miguel Arcanjo nos disse: << - Caros "filhos". Sou Miguel, que vos protege noite e dia a mando do Pai, para vos resguardar de todos os ataques do inimigo. Não posso evitar que ataque. Apenas ajudo para que não vos derrote.

Não julgueis jamais! Jamais rezem pelos outros pensando que eles são mais pecadores que vós, pois isto vos faz julgadores e, consequentemente, réus de julgamento divino.

Rezem, para que todos sejam submissos a Deus e Ele, que tudo vê, sabe o que deve ser feito. Confiem em Deus! O cálice já transborda mas não tenham medo. A Mãe está sempre do vosso lado e seu Jesus precisa dos vossos trabalhos.

Amém! Amém! Amém!>>










28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Post: Blog2_Post
bottom of page